comentar
publicado por JS, em 03.11.06 às 11:46link do post | favorito
Um bravo indiozinho, filho do chefe Grande Cabeça Negra e Grossa (?), aproximou-se do pai numa manhã de radioso Sol e perguntou-lhe:

- Meu pai: porque é que os nomes dos Índios são tão compridos e não são como os dos rostos-pálidos que se chamam Bill, Tex ou Sam?

- Meu filho: os nossos nomes são um símbolo da beleza natural de tudo o que acontece e representam a riqueza da nossa cultura na sua forma de expressão.

- Como assim?!...

- Por exemplo, a tua irmã chama-se Lua Cheia no Grande Lago porque foi feita numa noite em que eu e a tua mãe andávamos a passear à beira dele, numa noite de luar. Abraçámo-nos, beijámo-nos e o amor gerou a vida dela.

- Humm...

- Olha, o teu irmão chama-se Grande Corcel das Pradarias Imensas, porque, um dia, vinha a tua mãe a regressar pela pradaria, lá fora estava muito Sol, resolvemos descansar, abraçámo-nos, beijámo-nos e ele foi gerado.

- Ah!...

- O que queres tu saber mais, meu pequeno Preservativo de Bosta Furado Vindo da China?

Hehehe....

comentar
publicado por JS, em 03.11.06 às 11:39link do post | favorito

Talvez caia da cadeira, cuidado as cadeiras axaxinas andam aí...


comentar
publicado por JS, em 03.11.06 às 11:31link do post | favorito

 

 

Uma mãe americana encontra uma cerveja na bolsa da filha e pergunta a si mesma:

? Será que minha filha está bebendo?

Uma italiana encontra um maço de cigarros na bolsa da filha e se questiona:

? Será que minha filha começou a fumar?

Uma mãe brasileira encontra na bolsa da filha uma camisinha e se pergunta:

? Meu Deus! Será que minha filha tem pila?
sinto-me: mamita

Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds